Construção de novos hotéis, centros de eventos, a Torre da Concatedral e o Anila Thermas ajudam a alavancar o turismo em Beltrão. Fotos: Flávio Pedron/JdeB

A Organização Mundial do Turismo (OMT) informou ontem que o turismo internacional aumentou 6% em 2017. Sobre sua importância, a OMT afirma que a indústria turística representa 10% do PIB (Produto Interno Bruto) mundial, e que uma em cada dez pessoas trabalha no setor.

E como andam os investimentos para desenvolver o turismo em Francisco Beltrão? O secretário do Desenvolvimento Econômico e Tecnológico, Inácio Pereira, tem boas notícias. A atual gestão está acreditando no potencial do município.

Para se ter uma ideia, a gestão passada orçou ao setor R$ 700 mil em quatro anos e a atual administração aumentou para R$ 10 milhões no mesmo período. “Vai depender muito das ações a serem desenvolvidas – ressalta o secretário -, mas decisão de investir no setor existe. E a maior parte do nosso orçamento é destinada ao turismo.”

Secretário Inácio Pereira: boas perspectivas para o turismo em Francisco Beltrão.

Quais pontos o município deve priorizar? Segundo Inácio Pereira, há potencial tanto urbano como rural. Não basta ter atrativos da natureza, é preciso estruturá-los turisticamente, lembra o secretário, que cita a Serra Gaúcha. Lá, muitos ambientes turísticos foram criados. E o caminho é este, “criar estrutura para motivar as pessoas a turistar por Francisco Beltrão”, destaca Inácio, acrescentando que o desenvolvimento do turismo se dá com uma série de fatores, desde os investimentos em infraestrutura até a criação de uma cultura turística, que seria a participação da própria comunidade na divulgação dos atrativos do município. “Quando uma pessoa de fora, ao abastecer seu carro, pergunta o que tem de turístico pra ver em nossa cidade, se o frentista disser que não sabe, como fica?”

Mais hotéis

A construção de mais três hotéis na cidade estaria ligada ao desenvolvimento do turismo? Inácio Pereira acredita que o que mais puxa esses investimentos é o turismo de negócios. Novos hotéis surgem porque os existentes constantemente estão com lotação máxima, devido ao turismo de negócios, mas acaba beneficiando os demais tipos de turismo desenvolvidos na região: de aventura, cultural, gastronômico, religioso.

Ele destaca os vários centros de eventos particulares que surgiram nos últimos anos, como Marabá, Bella e Kero. Estes novos empreendimentos estão localizados às margens de rodovias, o que facilita os deslocamentos. “Isso mostra as boas perspectivas que temos para o município”, opina Inácio.

Outros empreendimentos

Atrações como a Torre da Concatedral, que no ano passado recebeu 47 mil visitantes, inclusive de outros Estados e países, e o Anila Thermas Hotel são dois empreendimentos que podem ajudar na atração de mais turistas. No final de semana, por exemplo, o Anila estava com grande quantidade de pessoas se banhando em suas piscinas. Muitas vieram de cidades da região e de fora para passar momentos de lazer.

O setor de gastronomia, com restaurantes que servem comidas diferenciadas, tem atraído pessoas da região que vêm saborear os pratos preparados por cozinheiros e chefs de cozinha. Aqui as pessoas encontram desde o tradicional churrasco gaúcho, passando por pizzarias, comidas chinesas, japonesas, italianas, árabe e de outros países da Europa – região do Mar Mediterrâneo.

O Thermas Hotel Anila, no final de semana. Muita gente de Beltrão e de fora vieram se banhar nas águas termais.