A Justiça Eleitoral pretende ser mais rígida com partidos que fraudam candidaturas femininas para cumprir a determinação de que 30% dos concorrentes a vagas no Legislativo sejam mulheres. As eleições de novembro deste ano serão as primeiras em que estará valendo uma resolução que permite ao juiz derrubar uma lista

Este conteúdo é restrito a membros do site. Se você for um usuário existente, faça o login. Novos usuários podem se registrar abaixo.

Existing Users Log In
   
New User Registration
*Campo obrigatório