O anúncio da criação da cédula de R$ 200 feita pelo Banco Central no final de julho, não agradou muito, especialmente quem trabalha com dinheiro em espécie. Comerciantes que já sentem dificuldade para trocar notas de R$ 100 e R$ 50 preveem ainda mais transtornos com a nota maior.
Para Anderson Locatelli, diretor executivo da Troco Simples — startup que que simplifica transações financeiras que envolvem dinheiro em espécie — as transações em espécie e a falta de troco é uma dor muito comum entre os comerciantes e varejistas, mesmo sem a a nota de R$ 200, que seria a de valor mais alto em circulação no País.

 

 

Informaçōes bem Paraná