Se você está com insônia, acorda muitas vezes durante a noite ou sonha mais que o normal, acredite: você faz parte da maioria. Pesquisas feitas durante a pandemia mostram que os brasileiros estão com muitas dificuldades para dormir.  A empresa global de inovação corporativa The Bakery entrevistou 780 pessoas e 44% disseram estar com problemas para dormir depois da pandemia. Já o Instituto do Sono fez uma pesquisa com 1.738 brasileiros e 55,6% afirmaram que a qualidade do sono piorou nos últimos meses. Em outra pesquisa, feita no início da pandemia pelo Ibope (Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística), a pedido da empresa farmacêutica Takeda, os números são ainda mais alarmantes. Dos 2.635 entrevistados, 65% afirmaram estar com o sono prejudicado.

Pensando nisso, uma fabricante de tecidos para colchões apostou em alta tecnologia para garantir um sono mais tranquilo. A empresa Conexão Malhas, que fica em Jundiaí (SP) investiu, em plena pandemia, cerca de 4 milhões de reais em pesquisas e equipamentos que produzem tecidos com nove tecnologias diferentes.

O consumidor poderá escolher se quer dormir longe dos insetos, com um colchão com repelente, por exemplo. Pode preferir uma noite de sono tranquila, com essências que acalmam. Tem tecido que mata bactérias, inclusive as causadoras da pneumonia. E tem até uma tecnologia – com íons de prata – que mata o coronavírus em menos de um minuto, indicada, principalmente para lugares onde há grande circulação de pessoas, como hotéis e pousadas. A eficácia deste tecido foi comprovada na Unicamp (Universidade Estadual Paulista).

 

Informações agência Brasil