A APP-Sindicato entrou ontem na Justiça com ação pedindo o cancelamento da prova presencial para contratação de professores temporários por Processo Seletivo Simplificado (PSS), marcada para o próximo dia 10. De acordo com o sindicato, a ação busca a nulidade do item do Edital que institui prova objetiva como método de seleção para contratações temporárias de professores e pedagogos.

Na ação, a entidade aponta que além do grave quadro de contaminação no Paraná, a prova infringe o caráter temporário de contratação e burla à regra geral do concurso público. Desde sua publicação, em outubro de 2020, a APP-Sindicato afirma lutar para garantir que o processo seja realizado com os mesmos critérios definidos pela Lei de 2005, sendo elas a prova de títulos referentes à escolaridade, tempo de serviço e aperfeiçoamento profissional.

A APP-Sindicato enfatiza ainda que a realização da prova presencial pode agravar o quadro da pandemia no Paraná. A aglomeração no dia do certame, certamente elevará os níveis de contaminação pelo vírus, avalia o sindicato. De acordo com o próprio governodo Paraná, 47.008 profissionais se candidataram para a seleção, afirma a entdiade.

“Deve ser considerado que a realização das provas envolverá centenas de aplicadores e fiscais, bem como demais trabalhadores em geral, além dos inevitáveis contatos a serem realizados nos deslocamentos destas pessoas”, explica o secretário de Assuntos Jurídicos da APP-Sindicato, Professor Mário Sergio Ferreira.

A Juíza substituta da 5ª Vara da Fazenda Pública, determinou que o Estado manifeste-se acerca do pedido, no prazo de três dias.

Informações AEN