Um menino, de 11 anos, foi resgatado pela Polícia Militar (PM) após ficar com os pés e mãos acorrentados em um barril de ferro, no sábado (30). Conforme informações do G1, a criança foi encontrada após denúncias, no bairro Jardim Itatiaia, em Campinas (SP). O pai da criança é um dos suspeitos do crime de tortura, junto com a namorada dele e a filha dela. O menino era mantido no espaço há pelo menos um mês

O caso foi registrado na 2ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), no Jardim Londres. Segundo a PM, o menino era mantido em pé dentro do objeto, local em que também fazia as necessidades fisiológicas. O local era coberto com uma telha e uma pia de mármore foi colocada acima, para impedir a saída dele.

A PM informou que foi acionada depois que moradores perceberam que o menino havia deixado de frequentar a escola e de brincar com outras crianças do bairro. Os policiais entraram no local após autorização da filha da namorada do pai da criança, de 22 anos.

Conforme a PM, o menino estava nu, debilitado e apresentava sinais de desnutrição. Ele foi socorrido por uma equipe do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU) e encaminhado ao Hospital Ouro Verde. Ele permanece internado sob a tutela de uma tia paterna.

De acordo com informações obtidas pelo G1 no boletim de ocorrências, o pai da criança alegou que ele é “agitado dentro de casa” e que ele teria feito isso para educá-lo. No barril, o menino ficava impossibilitado de sentar ou agachar e apresentava inchaço nas pernas.

A Polícia Civil entende que o homem aplicou violência grave na criança, o que provocou sofrimento físico e mental. Já a namorada, de 39 anos, e a filha dela, de 22 anos, não fizeram nada para evitar o sofrimento. O delegado determinou a prisão do pai da criança.

 

Informações G1