Um homem de 48 anos morreu afogado na terça-feira (23), em Flor do Sertão, no Oeste de Santa Catarina. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o quartel de Maravilha recebeu uma ligação da Polícia Militar, por volta das 9h, que informava um possível afogamento no interior do município.

Segundo os bombeiros, através da coleta de informações, foi informado que a vítima possuía histórico de convulsões, mas que após tratamento não apresentava crises há anos. O homem trabalhava com a construção de cerca de arame e trabalhava às margens do Rio Sargento na segunda-feira (22), quando no fim da tarde informou outros dois funcionários que iria para casa.

De acordo com os bombeiros, os demais funcionários informaram que indagaram e falaram para ele aguardar, que assim que guardassem as ferramentas também iriam, porém a vítima recusou e disse que estava indo.

Segundo as testemunhas, como a residência ficava na outra margem, o homem efetuou a travessia a nado. De acordo com as testemunhas, a vítima pegou uma bolsa de ráfia, que continha três peixes, amarrou na cintura e adentrou na água com calça, botas e sem camisa.

Em torno de 15 a 20 minutos após a vítima sair, as testemunhas pegaram a embarcação a remo e atravessaram o rio para ir às respectivas casas. Cerca de seis metros antes da margem viram as botas da vítima flutuando, mas acreditaram que o mesmo havia perdido durante a travessia.

Já na terça-feira (23), a vítima não apareceu para trabalhar. As testemunhas então foram até a residência do homem, onde a esposa informou que o mesmo não havia aparecido para dormir. Deslocaram até a casa da mãe da vítima e de outros familiares, mas ninguém o havia visto. Assim foi informado o comandante da Companhia e Oficial de Dia que imediatamente acionaram a equipe de mergulho.

Ainda de acordo com os bombeiros no local, os mergulhadores iniciaram as buscas, e encontraram o corpo próximo ao local indicado a uma profundidade de aproximadamente quatro metros. A vítima estava submersa há aproximadamente 20 horas. O corpo ficou aos cuidados da Polícia Militar.

 

Informações clicdr