Laordo de Antônio Ribeiro, cobrador de ônibus, de 48 anos, e a professora Noemia Martins Coimbra, 42 anos, casados e moradores de Itaperuçu, na Região Metropolitana de Curitiba, morreram com apenas 24 horas de diferença, por complicações da Covid-19. A história triste não só comoveu os moradores de Itaperuçu, como os de Rio Branco do Sul, onde Noemia era professora da rede municipal de ensino. Os dois deixaram um filha de apenas 12 anos e, segundo informações de familiares e amigos, não tinham outros problemas de saúde.

A professora começou a passar mal no dia 20 de fevereiro, quando foi levada pelo marido até o hospital de Itaperuçu. No mesmo dia, ela foi transferida para a Santa Casa em Curitiba, onde o exame deu positivo para Covid-19 e logo depois ela foi entubada. Quatro dias depois foi a vez do marido dela ser internado e encaminhado ao Hospital Reabilitação Cabral, em Curitiba.  Na última segunda (1), Noemia morreu pela manhã e Laordo faleceu na madrugada de terça (2), em Curitiba.

AO VIVO RÁDIO WEB MANGUEIRINHA ONLINE

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA

A APP-Sindicato emitiu nota de pesar pela morte da professora: “É com pesar que noticiamos o falecimento da professora Nomeia Martins Coimbra, após complicações causadas pela Covid-19. Ela tinha 41 anos de idade e trabalhou no CMEI Maria Luiza, no município de Rio Branco do Sul. Todo nosso apoio e solidariedade aos familiares, amigos e colegas de trabalho”.

A prefeita de Rio Branco do Sul, Karime Fayad, também lamentou o falecimento da professora nas redes sociais. “Para os colegas de trabalho, Noemia era uma professora criativa, dedicada, que amava a profissão. Solidarizo-me com a família e amigos da docente neste momento de profunda dor #Luto”, postou a prefeita.

 

Informações bem Paraná